Alfonso X
Jogos Modernos
Jogos de Mesa
Jogos Infantis
Jogos para Grupos
Jogos de Rua
Quebra-Cabeça
Jogos de Tabuleiro
Jogos Diversos
Jogos de Boteco
Jogos Matemáticos


Escritos
Concursos



 
Jogo de "Palitinhos" tradicional ou "porrinha":  

Este jogo é conhecido por todos. Mesmo assim, recebi inúmeros pedidos de colocar suas regras no site. A dificuldade, obviamente, é a de descrever as regras. Eu conheço uma versão. Não sei se existem outras.

Trata-se de um jogos de "adivinhação" e blefe. Cada jogador inicia com três palitinhos. Os jogadores colocam as mãos para trás, escolhendo uma quantidade de palitos (zero, um, dois ou três), colocando a mão direita para frente. Os palitos "em jogos" são os que se encontram nesta mão.

A seguir, cada um dos jogadores dá o seu palpite ("chamar"), dizendo qual o total dos palitos estão em jogo, ou seja, quantos palitos, ao todo, existem nas mãos dos jogadores. Os palpites não podem ser repetidos. Ganha a rodada aquele que acertar o número exato de palitos em jogo.

Este jogador, então, "tira" um palito e passa a jogar com um palito a menos, isto é, se tinha três palitos ao todo, agora jogará com dois. O jogador que deu o palpite em primeiro lugar, na próxima rodada será o último a "chamar", e assim por diante.

Ganha o jogo quem primeiro ficar sem palitos.

Existem poucas restrições: na primeira rodada, não se pode "vir de lona", ou seja, não se pode apresentar a mão direita sem nenhum palito.

Pode-se, inclusive, "jogar" na mão dos adversários: num rompante de ousadia, o jogador que será o primeiro a "chamar" pode vir de "lona" e, abrindo a mão, mostrar que não tem palitos e assim procurar adivinhar quantos palitos os demais jogadores apresentam. Obviamente, se errar, ajuda os adversários, já que mostrou nada ter nas mãos...

Não existe um número máximo de jogadores possíveis. Mas um número muito grande de jogadores fará o jogo ficar lento e chato. Parece-me que 4 seja um número razoável. Da mesma forma, somente dois jogadores fará o jogo ficar meio previsível.

Uma única dica obvia: evite pedir "lona" quando você for o primeiro a jogar, se não for "jogar na mão dos adversários": você estará indicando aos demais jogadores que você não tem palitos na mão!

A origem do jogo:

No dicionário Aurélio, versão eletrônica, temos que "porrinha" é:

[De porra + -inha.]
S. f. Bras.
1. Jogo em que os parceiros encerram na mão certo número (entre 0 e 3) de moedas ou palitos de fósforo, para depois, um a um, tentarem adivinhar o total; basquete-de-bolso, jogo de palitinhos.

Ao que parece, a "porrinha" teve origem na "Morra", jogada pelos antigos romanos. Esse jogo era um jogos de palitinhos, sem palito. Os jogadores, simultaneamente, apresentavam um ou mais dedos da mão direita, ao mesmo tempo que diziam um número. Quem acertasse quantos dedos foram apresentados, ganhava o jogo.

Segundo alguns, o nome "porrinha", pode ter surgido da expressão "Porro cum quo micas in tenebris ei liberum est, si velit, fallere". (Com certeza, àquele com quem jogas morra no escuro, ainda que avisado, podes enganar), que teria sido proferida por Santo Agostinho, no séc. IV d.C.

Da palavra latina "Porro", para "porra" e daí para "porrinha", certamente foi um passo.

E se você acha que está falando algo novo, quando diz que "Fulano é tão honesto que se pode jogar palitinhos com ele pelo telefone", saiba que os romanos diziam "quicum in tenebris mices", isto é, era honesto aquele com quem se pudesse jogar Morra no escuro...

Um jogo parecido com a Morra é o "tesoura/pedra/papel", onde os jogadores se digladiam da seguinte forma:

- colocando a mão fechada= pedra. Esta "quebra" a tesoura, ganhando desta;

- colocando-se o dedo indicador e o médio= tesoura. Esta "corta" o papel, ganhando deste;

- colocando-se a mão aberta= papel. Este "embrulha" a pedra, ganhando desta.

Este jogo tem um nome oriental, que não ouso tentar escrever.

Mais uma contribuição importante. O amigo ALEXANDRE LEITE BAPTISTA permitiu que eu disponibilizasse no site a versão eletrônica do "Purrinha" (como ele chama). Está na seção de programas. E ele está prometendo, para breve, uma versão para ser jogada on-line.

Ao Alexandre, os meus agradecimentos.

 

HOME